Saudades do Quantum Fly

Fui proprietário de um Quantum Fly, um smartphone nacional com processador de dez núcleos (o primeiro vendido oficialmente no Brasil). Ele era um ótimo aparelho, investi nele um pouco menos de R$ 1200,00 com capa e película. As especificações do aparelho são boas: 3 GB de RAM, 32 GB de armazenamento interno (expansível até 128 GB), processador deca-core (MediaTek MT6797 Helio X20 com 2.1 Ghz), uma CPU gráfica de de 780 Mhz (Mali-T880), tela de 5.2 polegadas com resolução full HD (1980 x 1080), câmera traseira de 16 megapixels com flash dual tone e abertura de f/2.0, câmera frontal de 8 megapixels com flash, sensor de impressão digital e uma bateria de 3.000 mAh.

O que me impressionava no Quantum Fly era o peso do aparelho e o design com tela de vidro curso 2.5D. O aparelho era muito elegante e show de bola. Outra grande vantagem do aparelho era a possibilidade de usar dados nos dois chips (sim, ele não exigia que o usuário alternasse a rede LTE preferida para ativar os dados de um chip diferente). A câmera de 16 megapixels oferecia bons resultados com boas condições de iluminação, fiz as minhas melhores fotos com o Quantum Fly, e o software da câmera entrega uma interface simples e que permite até fazer ajustes manuais (foco, compensação, exposição). Entretanto, a câmera demora a focar, apesar do foco automático PDAF. A Quantum não fez muitas modificações no Android, entregando um sistema com poucos aplicativos pré-instalados e um Android quase puro.

Entre suas desvantagens posso citar a falta de atualizações para as versões mais recentes do Android (é o Android 6.1) e não está mais disponível no mercado, a bateria que acaba muito rápido apesar da boa capacidade de armazenamento de energia, a falta de carregamento rápido, a necessidade de escolher entre usar um segundo chip ou um cartão de memória, e por fim o software de processamento de imagens da câmera oferecia uma imagem um pouco lavada (eu corrigia através do ajuste automático de imagem do aplicativo Fotos).

Infelizmente, perdi o aparelho e recuperei-o todo danificado (provavelmente foi atropelado). Nesse meio período, comprei um Quantum Muv Pro, um aparelho inferior mas um ótimo aparelho (o preço dele é menor que R$ 500,00 somados capa e película). Esse aparelho Quantum Muv Pro era octa-core, 2 GB de RAM, 32 gb de armazenamento, tela HD de 5.5 polegadas e câmera de 16 megapixels (mas visivelmente produzindo fotos inferiores ao Quantum Fly).

Recentemente, após meu Quantum Muv Pro ter molhado e assim falecido, adquiri um Sony Xperia XA1 por R$1.400,00 (eu sei, na internet tem preços bem menores, mas eu precisava urgente um smartphone e busquei nas lojas da cidade onde trabalho, e após analisar vários produtos decidi que o melhor custo-benefício era o Xperia XA1.

O Xperia XA1 é um baita aparelho, tem processador octa-core de 2.3 ghz (muito poder de fogo), Android atualizado (já estou usando o Android 8), é resistente à água, tem NFC, 32 GB de armazenamento (expansível até 256 GB), tela HD (1280 x 720),  CPU gráfica de 900 mhz, tela de 5 polegadas, design com bordas finas e o melhor: câmera traseira de 23 megapixels.

As vantagens do Xperia XA1 sobre o Quantum Fly são a câmera com mais qualidade, botão físico para acionamento da câmera (esse botão foi colocado em área de fácil acesso para disparo), carregamento rápido, áudio um pouco melhor (ambos os aparelhos tem áudio mono) e atualizações frequentes.

As desvantagens ficam por conta da tela de menor resolução, a falta de sensor de impressão digital, aparelho com grandes bordas superior e frontal, falta do giroscópio, Android recheado de aplicativos que não podem ser desinstalados, notificações para tudo (a Sony colocou aplicativo para eternamente mostrar o estado da rede de celular na área de notificação).

No final das contas, o Quantum Fly ainda é um grande aparelho frente ao Xperia XA1, se apenas melhorasse a câmera iria bater muito smartphone do mercado. Observando tudo isso, dá uma saudade do Quantum Fly!

Confira fotos tiradas com o Quantum Fly:

As fotos sofreram ajustes básicos nas cores, nada de processamento avançado para melhorar a qualidade.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s